style="display:inline-block;width:728px;height:90px"
data-ad-client="ca-pub-4096416861955340"
data-ad-slot="3966619962">

9

A importância de saber falar Inglês nos Estados Unidos

Mudar do Brasil para os Estados Unidos da América é realmente algo desafiador, e para que tudo dê certo, é necessário planejamento e dedicação. 

Já passamos por isso, e atualmente estamos vivendo o sonho de morar em um país de primeiro mundo, que aliás nos acolheu muito bem desde o momento em que chegamos.

​É bem comum encontrarmos pessoas que desejam se mudar para os Estados Unidos para começar uma nova vida, mas infelizmente esse sonho não é para todos, pois é necessário mais do que apenas sonhar, é preciso ter ações efetivas para que tudo se realize.

Brasil e Estados Unidos

"Meros desejos não são suficientes para deixar um país de terceiro mundo e passar a viver na maior potência mundial, é preciso muito mais que isso"


Antes de nos mudarmos para os Estado Unidos, eu já estava preparado. Estou me referindo à qualificação profissional e ao idioma, que foram dois fatores fundamentais para conseguir me posicionar corretamente no mercado de trabalho estando ainda no Brasil

Não viemos todos com o idioma em dia, minha esposa e filha vieram com o Inglês básico aprendido na escola, e podemos garantir que isso não é suficiente para ter uma boa profissão e um bom trabalho aqui nos Estados Unidos, é obvio que há excessões para todas as regras, mas no geral, o fato de não falar Inglês limita drasticamente as opções de avanço profissional.

O fato é que as pessoas não levam isso muito a sério e passam a se aventurar com a esperança que tudo dê certo no final. Admiro o espírito de pessoas que querem fazer a coisa acontecer e encaram os desafios, mas é preciso fazer isso de forma sensata, e a melhor maneira é ter planejando e formação adequada para que o caminho seja mais fácil.

"Os Estados Unidos da América priorizam educação e conhecimento, portanto, você deve se enquadrar nesses requisitos para viver bem nesse país"

Talvez você já tenha ouvido histórias de pessoas que se mudam para esse país e com trabalho duro chegam a alcançar sucesso. Claro que trabalho e dedicação fazem a diferença não só aqui nos Estados Unidos, mas como em qualquer outro lugar do mundo, mas é preciso estar atento aos fatores de sucesso de cada indivíduo, pois as histórias de sucesso são agradáveis e cativantes, porém ninguém gosta de ler sobre as histórias de fracassos e dificuldades que muitos outros brasileiros enfrentam.

Vamos então começar pelo básico, olhando os dados oficiais e os números, afinal, como todos dizem: "os números não mentem"

O quadro abaixo mostra dados importantes postados no Wikipedia, o texto fala sobre os Brasileiros nos Estados Unidos,  formação universitária, qualificação profissional e idioma.

Veja o que diz o censo Americano sobre os Brasileiros

The 2000 U.S. Census showed that 34.5 percent of Brazilians had completed four or more years of college,[12] while the corresponding number for the general U.S. population is only 24.4 percent.[13]However, although effectively many Brazilian immigrants in the United States are university educated, most these immigrants fail to get well-qualified jobs and have to get lower-status jobs because the United States doesn't recognize their qualifications and also because most of them do not speak English

Basicamente há a informação sobre a porcentagem de Brasileiros (34.5%) que completaram quatro ou mais anos de universidade e a afirmação que a maioria desses Brasileiros falha em obter os melhores empregos por causa da falta do idioma Inglês. Mesmo com formação universitária, precisam se submter a empregos secundários.

​Esse censo foi realizado no ano de 2000 e atualmente a situação é ainda mais alarmante, pois educação é cada vez mais valorizada e falar outro idioma é fundamental para trabalhar em cargos mais elevados, afinal o idioma universal é o Inglês.

Felizmente há informações boas também a respeito de Brasileiros nos Estados, Unidos, veja o texto destacado retirado da mesma matéria.

Bons empregos para Brasileiros
Claudemir Martins

Felizmente eu me enquadro nessa categoria com cargo de gerência e hoje trabalho para uma da maiores multinacionais do mundo, onde comecei como Engenheiro de Aplicações e atualmente estou como gerente de treinamento para a América Latina, o que requer além do Inglês, o domínio do idioma espanhol.

É obvio que se não falasse Inglês, não teria a mínima chance de ser contratado por uma empresa multinacional para um cargo que demanda comunicação com pessoas de diferentes países.

Outro dado importante: minha primeira entrevista foi com um diretor americano, portanto, não havia espaço para enrolação no inglês, ou o famoso "embromation"


"O ideal é chegar aos Estados Unidos já sabendo Inglês avançado"

OK, talvez você esteja pensando a respeito e fique na duvida do que é exatamente ter Inglês Avançado. Uma coisa posso afirmar com absoluta certeza: "não é o Inglês que adquirimos no fundamental e ensino médio no Brasil e nem mesmo o Inglês  da maioria dos cursinhos pagos"

E por falar em escola pagas, me refero aos curso tradicionais que te mantêm na escola por anos e que ao sair você "pensa" que sabe Inglês suficiente para falar com um nativo da mesma forma que fala com um amigo Brasileiro.

E já parou para pensar no que gastamos com tais cursinhos ? Veja o vídeo abaixo sobre o assunto:

Se pensarmos bem, é desanimador o que se gasta com cursos e no final não há aprendizagem real, felizmente não fiquei anos matriculado em escolas de Inglês tradicionais gastando tempo e dinheiro, consegui estudar utilizando métodos mais interessantes para progredir mais rapidamente e atingir meus objetivos.

Eu acredito que o principal problema que acaba frustrando muitas pessoas é a busca pelos "3 Bs", a maioria quer algo Bom, Bonito e Barato, o que acaba impactando no final na qualidade e tempo de aprendizagem.

É preciso estar ciente de que tudo tem seu preço, aprender um novo idioma não é excessão, então é necessário abrir não só o bolso, mas também a mente, é necessário ter foco e atacar de vez o "problema". Isso mesmo, não falar Inglês passa a ser um problemão que irá te privar daquela tão desejada vaga em grandes empresas ou em outros países. 

Tio Sam quer que você aprenda Inglês

OK, então quando falamos sobre o idiomas, encontramos pessoas com as seguintes frases:

  • Ahhhh, eu me viro bem no Inglês
  • Já viajei para a Disney e não tive problemas
  • Não sou fluente não, mas dou meus pulos
  • Quando chegar lá damos um jeito
  • Morando lá a gente vai aprendendo
  • Tenho um amigo que se mudou para lá e não fala Inglês
  • Tenho um certificado de conclusão do meu curso
  • Ah, eu me viro com o Google translator
  • Eu não sei falar, mas até que entendo bem
  • O importante é conseguir se comunicar

"Passear na Disney ou ir ao Mac Donalds em Nova Iorque não prova nada"

​Esse pensamento de que em nossa viagem de férias, conseguimos entrar em uma loja e comprar o que queremos, não garante que sabemos Inglês suficiente para usá-lo para estudar ou trabalhar nos Estados Unidos.

​Será que o Inglês que utilizamos para passear, floreados com gestos e palavras inventadas ou mal pronunciadas irá convencer um entrevistador de uma empresa multinacional ? É obvio que não, e o primeiro passo é assumir que precisamos aprender mais.

Veja o vídeo abaixo, será que em uma entrevista de trabalho não irão nos ver dessa forma ?

Minha recomendação pessoal, faça um curso com alguém que tem fama de bom professor e possui um bom método,

Claudemir Martins
 

Nasci e cresci no interior de São Paulo, no ano de 2013 me mudei com minha família (esposa e filha) para os Estados Unidos e desde então vivemos nesse maravilhoso país.

Gerson Thiago - 11 de janeiro de 2017

Olá Claudemir.
Estou no último ano de engenharia civil e desejo muito poder trabalhar no EUA exercendo essa função.
Além do idioma, quais dicas você pode me dar para conseguir alcançar este objetivo ?
Quais passos devo seguir até conseguir a validação do meu diploma e conseguir ser contratado por uma empresa aí ?

    Valdirene Martins - 26 de fevereiro de 2017

    Olá Gerson Thiago, no momento só sabemos que a Embraer está contratando brasileiros para poder trabalhar nos Estados Unidos.
    O principal passo é conseguir emprego em uma multinacional que tenha a filial ou central nos Estados Unidos e possa te transferir para lá depois de um ano.

    Atenciosamente,

Rodrigo - 4 de março de 2016

Olá Claudemir!

Eu trabalho com comércio exterior (importação / exportação) na parte de prestação de serviços, já trabalho ha cerca de 8 anos na área sou formado e também já morei alguns meses de intercâmbio nos EUA.

Recebi uma proposta de uma empresa em Miami no qual conheço o dono aqui do Brasil e já conheço essa empresa, visitei ela em Miami e etc, porque o dono dela também é dono de uma empresa do mesmo segmento aqui no Brasil no qual já trabalhei.

Resumindo, ele me chamou para trabalhar lá na empresa de Miami e fiquei super empolgado porque sempre quis ir e etc, sendo honesto o salário sei que não é tão bom para o padrão de vida lá, mas a minha situação aqui é tão ruim atualmente por N motivos que topei ir. O salário é de aproximadamente USD 3.000 por mês…

O que me preocupa é que vou com meu marido que não sabe nada de inglês… E sei também que ele não poderá trabalhar por causa do visto dele de dependente (H4)… Apesar de ter algumas leis novas que li que dão algumas brechas…

Nossa estratégia é ele chegar lá e se afundar em algum curso para focar apenas em aprender inglês no início de qualquer jeito… Sei que será muito difícl mas não temos escolha… O que nos dá medo é o nosso futuro… Nossa ideia é que o meu salário vá melhorando e ao longo dos anos eu possa mudar de empresa, etc conseguir o green card no final do visto e tudo mais.

No início será muito desafiador e venderemos tudo nosso aqui o que não é muito (carro, móveis, acerto do trabalho dos dois) para irmos, mas primeiro eu vou e após 2 meses dou o ok para ele largar o trabalho dele e ir… Mas USD 3.000 por mês para nós dois será complicado, certo? Mas penso que dá para sobreviver no primeiro ano ou segundo…

O que você acha sobre isso? Se tudo correr bem me mudo em Setembro para começar a trabalhar em Outubro, ai ele iria em Dezembro…

Muito obrigado pela ajuda o blog tem me ajudado muito mesmo, de verdade….

Grande abraço!

    Claudemir Martins - 4 de março de 2016

    Olá Rodrigo,

    Obrigado pela visita ao Blog.
    Em Miami irá encontrar empregos que pode trabalhar falando somente falando espanhol, isso funciona bem para o pessoal da América Latina, mas como somos brasileiros isso muda um pouco porque nosso idioma é outro.
    Como eu dise na matéria, sem Inglês não terá acesso a cargos com sálários mais altos, por isso é importante se aplicar em aprender bem o idioma.

    Na questão do custo de vida, eu diria que $3.000 é o mínimo para conseguir passar o mês e pode ser que tenha que se apertar um pouco, evitar sair para restaurantes e passeios que gaste muito.
    Aqui na região a moradia, seja aluguel ou mortgage vai te consumir pelo menos uns 50% desse valor, depois terá as despesas com seguro, alimentação, locomoção, água, luz, telefone, Internet e saúde.

    Bom, para se locomover é complicado (mas possível) sem ter um carro, há a opção de fazer leasing, comprar a vista ou financiar um carro.
    Leasing e financiamento não será facilmente aprovado pois é recém chegado ao país, então melhor seria optar pela compra de um usado, irá encontrar carros antigos na faixa de $3.000 em diante (Pagamento a vista em dinheiro)
    Quando chegamos ao país compramos um carro usado para mim e minha esposa usava o trolley público, agora pagamos leasing e temos um carro para cada um.

    Resumo da história:

    – Chegue ao país, tire o Social Security já no primeiro dia

    – Compre um carro usado utilizando sua carteira de motorista do Brasil ( que vai valer temporariamente) e é obrigatório contratar uma seguradora

    – Tire a carteira de motorista daqui, pagará cerca de $50 para todo o processo que leva apenas 2 horas ( desde os exames, até a prova de dirigir e a impressão da carteira)
    (Obviamente tem que estudar para esse exame e fazer uma prova em Espanhol ou Inglês no computador)

    – Contacte a seguradora Infinity que poderá te aceitar como segurado para seu carro ( no começo as demais como Geico, Progessive, etc não aceitam )

    – Contacte minha esposa para alugar/comprar o apartamento ou casa que pretendem morar

    – E finalmente SEJA BEM-VINDO E APROVEITE A VIDA NOS EUA…. no começo tudo é novidade e as vezes difícil, mas vale muito a pena

    Abraço

    Claudemir

      Rodrigo - 4 de março de 2016

      Muito obrigado Claudemir!

      Eu já tenho o social security menos uma coisa…e sim, minha proridade ao chegar é alugar um apt (já estou olhando con sua esposa) e comprar um carro a vista mesmo, mesmo que seja mais antigo no inicio…

      Sim, será muito difícil, um desafio mas uma vida nova do 0!

      Obrigado novamente por vc dispor do seu tempo para nos ajudar!

      Abs,

      Rodrigo

Fernando Torres - 27 de dezembro de 2015

Claudemir, bom dia, moro em Tupa interior de São Paulo, estou planejando abrir uma empresa na area grafica de banners e signs, a aplicar para o visto L1, e quanto mais informação eu puder captar melhor sera, pois bem, escolhi o estado da Florida devido ao grande numero de latinos na esperança de ser mais facil a adaptação social, bom mas o que me leva a este contato com voce são dois itens, primeiro: como se deu o seu aprendizado no idioma, quero dizer se teve aula particular para reforçar o aprendizado digo isso pois estou numa escola de ingles e realmente parece que não sai do lugar, e a segunda questão é sera que a escolha da Florida para abrir este tipo de negocio é o acertado, agradeço pela atenção e um grande 2016 para vc e familia

    Claudemir Martins - 27 de dezembro de 2015

    Olá Fernando,

    Obrigado pela visita ao Blog, estamos trabalhando para deixá-lo cada vez melhor para ajudar a todos que se interessam pelos Estados Unidos.
    Quanto à sua pergunta sobre aprender Inglês, eu também estava cansado de ficar vendo verbo to be na escola todo ano, aquilo era uma perda de tempo. Não consegui aprender com escolas pagas, me sentia como um número somente e não pude avançar pois não tinha a prática necessária para desenrolar de vez o Inglês.

    A solução foi procurar algo que me fizesse aprender realmente, eu aprendi fugindo do tradicional, acredito muito em qualidade e eficiência, então comecei a procurar cursos que eu pudesse fazer por conta própria e que se encaixasse com minha maneira de aprender, a idéia que coloquei na cabeça era de investir para valer, tempo e dinheiro e ter muito muito foco.

    Conversando com várias pessoas, vi que passavam 8 anos em uma escola de Inglês, pagando uma mensalidade pequena que no final dos 8 anos acabava sendo um grande investimento. Então decidi procurar algo que tivesse um preço maior mas que fosse mais eficiente, assim poderia falar em menos tempo e no final, por falar mais rápido ainda acabava saindo mais barato.

    Comprei vários cursos em vídeo, audio aulas e paguei para falar com as pessoas pela Internet, com isso foi muita prática sem tanta gramática e verbo to be, em 6 meses de esforço (estudando de domingo a domingo) já notei que estava muito solto com meu Inglês, em um ano estava super confortável para manter conversas longas com nativos pela internet.

    Minha dica então é… invista sem medo, invista seu tempo e dinheiro, mas em algo que traga resultados, sem pensar em escola com mensalidades pequenas. Estude todo dia sem excessão, procure estudar umas 3 horas por dia, se não der, invista 1 hora por dia, mas sempre, sem quebrar a rotina, se estudar todo o material que comprou, repita tudo outra vez, 1, 2, 3 vezes…. depois compre mais material e siga avançando. Pensar grande, traz resultados.

    Vou ser bem sincero com os leitores aqui, faço a promoção de cursos aqui no Blog, porque acredito que as pessoas devem tentar esses métodos alternativos, funciona para quem se aplica para valer. Ganho uma pequena comissão se comprar o curso a partir do clique nesse link, acredito que é uma maneira de ser recompensado pelo meu trabalho de manter esse Blog e ao mesmo tempo ajudar as pessoas, afinal o preço é o mesmo, clicando pelo meu link ou não.

    Aqui está o link que irá redirecionar para a página de vendas:
    http://tudosobremiami.com/guia-de-sobrevivencia

    Sobre a questão de trabalho aqui, você tem razão, a adaptação na Flórida é muito mais fácil para os latinos devido à cultura já existente por aqui, são muitas pessoas falando espanhol e português e um grande mercado disponível para essa população. O fato que querer se mudar para cá com essa mentalidade emprededora já te coloca no caminho certo. É difícil não dar certo nos Estados Unidos se você é uma pessoa muito esforçada, positiva e que mantém o foco nos seus objetivos, mas tem que pensar grande e não medir esforços, a América so sonhos é para quem sonha mas coloca ação e trabalho para realizá-los.

    Desculpe pela mensagem tão longa, mas fico empolgado em falar com pessoas que têm um grande objetivo na vida e sabe que é necessário esforço para conseguir, estou aqui por causa de muito esforço e acredito que outras pessoas possam fazer o mesmo.

    Abraço, boa sorte com sua jornada e mantenha contato com a gente, quero saber da sua história de sucesso.

    Claudemir

willian vinicios da silva - 18 de setembro de 2015

olá senhor Claudemir Martins eu sou um jovem brasileiro que tenho um sonho de trabalhar e ter um carreira de sucesso profissional nos Estados Unidos, gostaria muito de ter uma resposta devolutiva sua, pois, gostei muito de suas dicas e eu estou me organizando para breve, breve fazer minha viajem para este maravilhoso país porém sou jovem e adoraria algumas recomendações de alguém que viveu e vive a experiência, se poder e se interessar gostaria de lhe fazer algumas perguntas de meu interesse ficaria muito grato. felicidades ps: willian.

    Claudemir Martins - 18 de setembro de 2015

    Olá William,

    Obrigado pela visita ao blog, é bom saber que tem ambição de viver em um país de primeiro mundo. Minha recomendação principal é que mantenha um padrão de pensamento elevado, aquele sentimento de que pode conseguir atingir seus objetivos sejam eles quais forem, pois muitas pessoas irão duvidar de você e tentar colocá-lo para baixo. A segunda recomendação é agir, dia a dia pensar sobre o que fez para caminhar um pouco mais em direção ao seu sonho.

    Ser sonhador apenas não basta, é preciso muita ação, muita prática de ir executando pequenos passos e tarefas que ao final irão se tornar algo grande. Reflita sobre o que deve sacrificar para realizar seu sonho de vir para os Estados Unidos, pois haverá sacrifícios a serem feitos e terá que sair da sua zona de conforto.

    Willian, realmente vale a pena…eu sai de uma pequena cidade do interior de São Paulo e hoje vivo nos Estados Unidos trabahando para uma das maiores empresas do mundo, tenho minha família comigo e todos estão muito felizes.
    Fique a vontade para perguntar, farei o possível para ajudar

    Abraço
    Claudemir

Os comentários estão desativados.